Juro de títulos americanos sobe com dados dos EUA

Baixa demanda em leilão também contribuiu para puxar as taxas

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

26 de maio de 2010 | 19h13

Os preços de títulos americanos (treasuries) caíram, com respectivo movimento inverso dos juros, diante da divulgação de indicadores positivos sobre a economia norte-americana, embora o ritmo de queda tenha sido reduzido no final do dia por conta de um ressurgimento das preocupações com a situação financeira dos países da zona do euro.

"Não é preciso muito para provocar medo novamente nos mercados, levando em conta que a confiança dos investidores continua fragilizada", disse Thomas Roth, diretor executivo de negociações com bônus dos EUA do Mitsubishi UFJ Securities em Nova York.

No final da tarde em Nova York, os juros projetados pelos T-bonds de 30 anos estavam em 4,098%, de 4,072% na terça-feira; os juros das T-notes de 10 anos estavam em 3,194%, de 3,170% ontem; os juros das T-notes de dois anos estavam em 0,816%, de 0,750% na terça-feira.

No início do dia, o Departamento de Comércio dos EUA anunciar que as encomendas de bens duráveis do país cresceram 2,9% em abril e que as vendas de imóveis residenciais novos aumentaram 14,8% no mesmo período. As duas leituras foram superiores às estimativas de analistas consultados pela Dow Jones.

Isso, aliado à demanda morna observada em um leilão de US$ 40 bilhões em T-notes de cinco anos ocorrido hoje, pesou sobre os preços dos Treasuries. Embora a procura pelos títulos tenha sido equivalente a 2,71 vezes o volume ofertado, muitos investidores esperavam resultados melhores, visto que, neste leilão, o Tesouro dos EUA ofereceu um volume menor de T-notes de cinco anos.

Segundo Thomas Simons, vice-presidente e economista de mercados monetários do Jefferies & Co., a procura pelo leilão foi "de certa forma pouco consistente". "Embora o mercado tenha passado por uma pequena correção desde o rali provocado pelos receios com o sistema bancário (da zona do euro), esse movimento aparentemente foi pequeno e tardio demais para atrair solidamente os compradores."

James Combias, diretor de negociações com Treasuries do Mizuho Securities USA, reiterou essa perspectiva. "Os yields (taxa de retorno) estão menos atraentes após o recente rali, então alguns investidores deixaram o leilão de lado". Os bônus foram colocados à taxa máxima de 2,130% - acima da taxa de 2,117% registrada antes das vendas.

Amanhã o Departamento de Tesouro dos EUA leiloará US$ 31 bilhões em T-notes de 7 anos. As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
EUAtreasuriestítulosjuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.