Juro desacelera com IPCA e dado de trabalho nos EUA

O número de vagas de trabalho criadas em março (payroll) nos Estados Unidos e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no Brasil foram duas boas notícias para o mercado de juros e dão os primeiros sinais para uma sexta-feira mais tranqüila. No pregão de contratos de Depósitos Interfinanceiros (DI) da Bolsa de Mercadorias & Futuros, a taxa projetada pelo vencimento de janeiro de 2008 (que é o mais negociado) abriu estável a 14,48% ao ano. Às 10h11, este contrato projetava taxa de 14,51%, ante 14,48% de ontem. O total de postos de trabalho criados no mês passado nos EUA cresceu 211 mil, apenas 11 mil acima do previsto. E o dado de fevereiro foi revisto para baixo, de 243 mil para 225 mil, assim com o de janeiro, de 170 mil postos, para 154 mil. A taxa de desemprego em março ficou em 4,7%, um pouco abaixo da previsão de estabilidade em 4,8%. Aqui, o IPCA do mês passado (+0,43%), veio dentro do estimado. O resultado, ligeiramente acima do registrado no mês anterior (0,41%), deveu-se principalmente a um fator, o aumento dos combustíveis, que subiram 4,97% e foram responsáveis por 77% do índice do mês. Os alimentos mantiveram recuo, com variação de -0,24%, e o frango, com reflexo da gripe aviária, ficou 12,5% mais barato, sendo a principal contribuição de baixa para o índice.

Agencia Estado,

07 Abril 2006 | 10h13

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.