Juro fecha em alta com aposta de corte menor da Selic

O contrato de depósito interfinanceiro (DI) mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), com vencimento em janeiro de 2008, fechou hoje projetando taxa de 12,43% ao ano, ante 12,41% do dia anterior. O mercado de juros viveu mais uma manhã de volatilidade, alimentada por notícias domésticas e internacionais. No Brasil, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de dezembro, dentro do esperado, garantiu uma queda momentânea das taxas de juros, mas não teve força para garantir uma melhora sustentada do humor dos investidores. Embora não tenha trazido surpresas, o IPCA do mês passado, de 0,48%, levou algumas instituições financeiras a revisarem para cima suas expectativas para a inflação de janeiro. O resultado deu ainda mais munição para a corrente majoritária do mercado que aposta em corte de 0,25 ponto porcentual, na Selic, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) deste mês. No cenário internacional, o destaque foi o resultado das vendas no varejo norte-americano do mês passado, que preocupou devido à revisão do dado de novembro, o que apontou para um desempenho mais fraco do que o esperado. Os juros futuros voltaram a subir com mais força no final da manhã, após a divulgação das vendas no varejo nos EUA em dezembro, que cresceram 0,9%, acima da alta revisada de 0,6% de novembro. O avanço superou a expansão de 0,7% prevista por economistas, mas o dado original de novembro havia apontado expansão de 1%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.