Juro fecha em queda na BM&F com ambiente favorável

Hoje o mercado de juros brasileiro acompanhou o clima positivo nos demais segmentos de negócios e testou novas mínimas ao longo da manhã. O volume de contratos negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) foi expressivo, refletindo a disposição de investidores em aplicar nos juros futuros. "O melhor indicador do fluxo de estrangeiros para os juros é a queda do dólar", afirma um operador, referindo-se ao recuo da cotação da moeda americana de 1,98% acumulada em fevereiro, e de 3,25% nos últimos 30 dias. O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, o mais negociado na BM&F, fechou projetando taxa de 12,29% ao ano, ante 12,33% ao ano do dia anterior. Segundo operadores, a baixa dos juros deve-se a um conjunto de notícias positivas que vêm surgindo nos últimos dias. Nesta terça-feira, dentre os eventos favoráveis, mereceram destaque a elevação de "estável" para "positiva" da perspectiva para o rating do Brasil e o resultado abaixo do esperado do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de janeiro, de 0,43%, confirmando que o repique da inflação era pontual. O ambiente internacional tranqüilo também é citado por profissionais como um motivador importante para a queda dos juros. O risco de alguma mudança drástica na condução da política monetária norte-americana, que vinha pressionando os mercados, ficou muito reduzido depois do comunicado da última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.