Juro futuro abre em baixa à espera de decisão do Fed

As taxas de juros futuros abriram em leve baixa o prega na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) e devem oscilar entre a estabilidade e uma ligeira queda, na opinião de operadores. Depois da piora da sexta-feira passada, impulsionada pelo mercado internacional, profissionais prevêem uma manhã mais tranqüila hoje. O contrato de DI com vencimento em janeiro de 2008 projetava taxa de 12,41% ao ano às 10h45, ante 12,44% na sexta-feira. Os índices futuros das bolsas em Wall Street operam perto da estabilidade, em um dia de agenda fraca no exterior. E, por aqui, também não estão previstos indicadores considerados decisivos para o mercado. O principal evento do dia, a divulgação da pesquisa Focus, não trouxe surpresas. A alteração mais relevante foi da projeção da taxa Selic para o final de 2007, que subiu de 11,50% para 11,75% ao ano, um ajuste natural depois da decisão do Copom de cortar a Selic em 0,25 ponto, e não em 0,5 ponto, como muitos investidores projetavam. Nas projeções de índices de inflação, no entanto, as alterações foram todas marginais. O que deve influenciar o mercado de forma mais decisiva esta semana é a reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) sobre juros, na quarta-feira - e, especialmente, o comunicado que será divulgado após o encontro - e a ata do Copom. O documento deve esclarecer o que justificou a opção pela redução do ritmo de corte de juros na última reunião. Operadores acreditam, no entanto, que a ata não deve trazer grandes surpresas. Outra questão que concentra a atenção dos profissionais é a definição dos leilões de títulos prefixados nesta semana. Como não houve leilão tradicional na semana passada, devido ao feriado de quinta-feira, o Tesouro ofertará Letras do Tesouro Nacional (LTN) e Notas do Tesouro Nacional da Série F (NTN-F) amanhã. A dúvida é se, na quinta-feira, haverá outro leilão. Essa informação o mercado só saberá quando o Tesouro divulgar o cronograma de leilões de fevereiro, o que deve acontecer até quarta-feira, último dia de janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.