Juro futuro abre em baixa e têm espaço de melhora

O dia hoje deve ser de recuperação nos mercados brasileiros, que não acompanharam a melhora dos mercados norte-americanos ontem por estarem fechados no feriado de Corpus Christi. Assim, há um terreno positivo a ser percorrido nesta sexta-feira, o que já vem sendo observado desde a abertura dos pregões eletrônicos. Isso não significa, necessariamente, que o cenário de volatilidade esteja encerrado. Grande parte dos analistas acredita que o mercado continuará pisando em terreno instável até agosto: depois do consenso de que o Fed (banco central dos EUA) elevará ainda mais vez a taxa dos juros no final de junho, as incertezas sobre o fim do ciclo de aperto monetário nos EUA foram transferidas para a reunião seguinte (8 de agosto). Assim, os mercados domésticos continuarão acompanhando os movimentos dos mercados internacionais. O principal motiva de melhora dos mercados internacionais ontem foi o discurso do presidente do Fed, Ben Bernanke, que disse que os preços da energia permanecerão, provavelmente, altos e a pressão que eles exercerão sobre bens e serviços precisa de acompanhamento cuidadoso. Mas ele ponderou que as estimativas de inflação implícitas com base em dados do mercado e medidas com os juros nominais ou indexados à inflação dos Treasuries sugerem que as expectativas inflacionárias diminuíram um pouco nos últimos meses. Foi uma visão oposta à do discurso de 5 de junho, quando justamente Bernanke destacara a elevação das expectativas inflacionárias. Às 10 horas, no sistema eletrônico GTS da Bolsa de Mercadorias & Futuros, o juro do contrato futuro de DI de janeiro de 2008 (vencimento mais negociado) estava em 15,73%, ante 15,88% de quarta-feira.

Agencia Estado,

16 de junho de 2006 | 10h01

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.