Juro futuro abre em leve baixa na BM&F

O mercado de juros na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) abriu com leve recuo. Os investidores esperam pacientemente a ata do Comitê de Política Monetária (Copom), que sai na quinta-feira, para apoiar-se em bases mais sólidas e, eventualmente, mexer em suas posições. Por volta das 10 horas, o contrato de DI com vencimento para janeiro de 2008, o mais negociado na BM&F, projetava taxa de 14,64% ao ano, ante 14,68% do dia anterior. No exterior, falta uma definição clara dos mercados acionários para o rumo do dia e este pode ser volátil, como ontem. Balanços estão no foco do mercado e também o Livro Bege do Fed, o banco central dos Estados Unidos, - um resumo das condições da economia e que serve de base para as decisões de política monetária americana - concentrará atenções às 15 horas. Pela manhã, o único dado macroeconômico será o índice de atividade industrial nacional de junho, que sai às 11 horas. No Brasil, o foco das atenções estará no Conselho Monetário Nacional (CMN), que se reúne a partir do meio-dia e deverá anunciar sua decisão sobre cobertura cambial, no pacote de medidas prometido para esta semana. O CMN definirá o porcentual de receitas de exportadores que não precisarão ser internalizadas. O quanto o conjunto de medidas vai afetar as cotações do dólar, ninguém sabe direito. Mas Mantega reiterou ontem acreditar que as medidas terão impacto no câmbio (de alta no dólar), apesar de analistas e especialistas do mercado avaliarem que a influência poderá ser limitada. Divulgado hoje, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da terceira quadrissemana de julho não tem potencial para mexer com os negócios. O resultado (0,16%), veio sem surpresas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.