Juro futuro cai apesar de decisão da Bolívia

O contrato de juro para janeiro de 2008 (o mais negociado) fechou a terça-feira em baixa, projetando taxa de 14,56%, contra taxa de 14,62% de sexta-feira. O mercado de juros teve um dia fraco e, como os demais segmentos de negócios, não chegou a se abalar com a decisão da Bolívia de nacionalizar o setor de gás e petróleo. Aqui, os mercados evitaram precipitação. Acredita-se que haja espaço para negociação e não está bem claro até onde vai a iniciativa do presidente boliviano Evo Morales. Outro assunto bastante discutido nas mesas de juros hoje foi o cronograma de leilões do Tesouro para maio, que reforçou a idéia de avanço consistente no objetivo de melhorar o perfil da dívida pública. O Tesouro começará a colocar em seus leilões tradicionais papéis mais longos.

Agencia Estado,

02 de maio de 2006 | 16h37

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.