Juro futuro cai com compra de mais títulos pelo Tesouro

O mercado de juros abriu os negócios mostrando melhora acentuada em relação ao fechamento da sexta-feira, embora operadores prossigam na análise de que os tempos são de volatilidade até a reunião do comitê de mercado aberto (FOMC) do banco central dos Estados Unidos, no final do mês. A taxa do depósito interfinanceiro (DI) de janeiro de 2008, que é o vencimento mais negociado no pregão da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), estava às 10h20 em 15,69%, ante fechamento na sexta-feira a 15,74%. Operadores acreditam que esta semana poderá ser de baixa volatilidade, com tendência de melhora nos mercados internacionais e doméstico, por conta da agenda mais fraca de indicadores nos EUA. A boa notícia deste começo de segunda-feira foi dada pelo Tesouro Nacional e se agrega aos bons fundamentos da economia doméstica. O Tesouro anunciou que inicia hoje operação de compra de títulos da dívida externa denominados em dólar e euros. A operação é chamada de "tender offer" e tem por objetivo melhorar o perfil dos pagamentos futuros da dívida externa brasileira. A meta é comprar até US$ 4 bilhões em títulos. Os papéis serão recomprados com pagamento em dinheiro, por meio de um "leilão holandês" modificado. O mercado da dívida externa já reage positivamente ao anúncio, que projetou o Global 40 para acima de 124 cents, depois de abertura pressionada pelo fraco comportamento das bolsas no exterior. O IPC-Fipe fechado de maio, divulgado mais cedo, teve deflação de 0,22%, resultado menor do que o apurado na terceira prévia do mês (-0,05%). O índice ficou bem abaixo do registrado em abril (0,01%) e também foi inferior ao previsto, cujas projeções variavam de -0,20% a -0,08%. É uma boa notícia, a ajudar o mercado neste segunda-feira, embora com influência menor nos negócios. A Focus não trouxe grandes novidades. Mas sinaliza que, ao menos por enquanto, o mercado continua projetando outro corte de 0,50 ponto porcentual na Selic na próxima reunião do Copom (dias 18 e 19 de julho). A projeção para a Selic de julho foi mantida em 14,75%.

Agencia Estado,

05 de junho de 2006 | 10h25

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.