Juro futuro cai junto com dólar e quadro positivo nos EUA

As taxas de juros no mercado futuro, projetadas a partir dos contratos de depósitos interfinanceiros (DI) negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), começaram o pregão de hoje em baixa. A trajetória é, na verdade, uma seqüência do movimento iniciado ontem, que teve como argumentos a reação positiva do mercado externo à decisão do banco central americano (Fed) de manter o juro básico no país estável em 5,25% ao ano, na quarta-feira, aos indicadores econômicos divulgados ontem nos EUA e à ata do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central brasileiro, publicada ontem, que confirmou a expectativa de continuidade de queda da taxa Selic (juro básico de referência da economia brasileira). Além disso, soma-se ainda a forte queda do dólar esta semana (negociado hoje a R$ 2,088, baixa de 0,62% no dia), uma boa notícia para a inflação. O recuo dos juros futuros acontece de forma mais intensa nos contratos de DI de longo prazo na BM&F. Os mais curtos, que refletem as apostas para as próximas decisões do Copom, já estão ajustados à idéia de que haverá pelo menos mais quatro cortes da Selic de 0,25 ponto porcentual. Às 10h20, o DI de janeiro de 2008 projetava taxa de 12,36% ao ano (ontem a taxa encerrou o pregão em 12,37%). O vencimento de janeiro de 2009 está projetando juro de 12,23% ao ano (estava em 12,25% ontem). A consolidação dessa melhora no mercado de juros, no entanto, dependerá de mais indicadores econômicos que serão divulgados nos EUA hoje. O principal deles é o relatório sobre a criação de vagas de trabalho em janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.