Juro futuro de janeiro de 2009 cai para 11,68% ao ano

As projeções das taxas de juros no mercado futuro estão recuando esta manhã, a partir dos contratos de depósitos interfinanceiros (DIs) negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). O foco do mercado de juros continua sobre o comportamento do cenário externo. E, neste início de pregão, os sinais são positivos. Os índices futuros das bolsas norte-americanas operam em alta, embalados pela revisão para cima do Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano do 4º trimestre de 2006, trazendo sinais favoráveis para a economia dos EUA. Os números lá fora ajudam o mercado doméstico de juros a prosseguir na trilha de recuperação, verificada já na abertura dos negócios do pregão eletrônico da BM&F. Operadores afirmam que é possível observar que, toda vez que o cenário externo dá uma trégua, aparece um fluxo vendedor. Mas, destacam os profissionais, o mercado internacional continua frágil, por causa das dúvidas a respeito do rumo da economia norte-americana. "O risco de recessão nos EUA e a alta da inflação são fontes de pressão ainda e, até que esse cenário se esclareça, o mercado fica frágil e volátil", afirma um operador. Às 10h20, no pregão viva-voz da BM&F, o DI futuro com vencimento em janeiro de 2009 projetava taxa de 11,68% ao ano, ante a projeção de 11,72% ao ano do fechamento da sessão ontem à tarde. No início da semana passada, essa projeção estava na casa dos 11,80% ao ano. O DI de janeiro de 2010 recua esta manhã para 11,64% ao ano, de 11,67% ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.