Juro futuro encerra em alta, atrelado a cenário extermp

Após mostrar independência do cenário externo por alguns dias, o mercado doméstico de juros voltou ontem a prestar atenção nos EUA e reforçou o foco hoje, quando os mercados amargaram a alta dos preços do petróleo (+1,07% em Nova York) e a queda firme das Bolsas americanas (às 16h04, Dow Jones caía 1,16% e Nasdaq, 1,70%). Isso fez com que o contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros, encerrasse o dia em alta, projetando taxa de 14,87% ao ano, contra taxa de 14,81% ao ano no fechamento de ontem. O petróleo foi influenciado pelo ataque aéreo, junto com invasão por terra, de Israel no sul do Líbano, em resposta à captura de dois soldados israelenses por tropas do Hezbollah. Nas Bolsas de Nova York, os índices caem porque os investidores temem surpresas com os números que as companhias apresentarão em seus balanços do segundo trimestre, já que alguns indicadores econômicos mostraram desaceleração na economia dos Estados Unidos. A dúvida é quanto à possibilidade de tal desaceleração já ter tido efeito nos números das companhias ou alterado as projeções de resultado para os próximos trimestres. O cenário favoreceu a "fuga para a qualidade", com os investidores transferindo suas aplicações para ativos de menor risco, como os títulos do Tesouro dos EUA, cujas taxas dos papéis longos estão em queda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.