Juro futuro encerra em baixa sob efeito da véspera

O bom humor iniciado ontem prevaleceu no mercado de juros hoje, e garantiu mais uma rodada de recuo das taxas dos contratos de depósito interfinanceiro (DI). O alívio do mercado externo com o comunicado de política monetária do banco central dos EUA, divulgado ontem, e, principalmente, a revisão dos resultados do PIB apresentada ontem pelo IBGE garantiram a queda dos juros futuros. O DI para janeiro de 2009, o mais negociado, fechou projetando taxa de 11,65% ao ano, ante taxa de 11,67% ao ano projetada no encerramento dos negócios ontem. Mas o recuo foi maior nas taxas dos contratos de vencimentos mais longos. O DI para janeiro de 2012, por exemplo, terminou o dia com taxa de 11,62%, contra taxa de 11,67% ontem. A demanda por DIs mais longos se deve, em primeiro lugar, ao fato de haver menos oportunidades de ganho nos outros contratos. A falta de diversificação de apostas para a Selic (taxa básica de juros, atualmente em 13% ao ano) coloca todos os participantes do mercado do mesmo lado, reduzindo as oportunidades de ganhos com os DIs de curto prazo. As apostas majoritárias do mercado são de que a Selic será reduzida em 0,25 ponto porcentual nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária do Banco Central. Além disso, para justificar o custo de carregamento dos DIs com vencimentos longos, é preciso que o investidor esteja convencido de que o cenário é favorável à continuidade da queda do juro por mais tempo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.