Juro futuro encerra em forte alta, com política

O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), terminou projetando taxa de 13,88% ao ano, em alta de 1,24%. Ontem, este mesmo contrato encerrou o dia a 13,71% ao ano. Segundo analistas, o noticiário político continuou interferindo no mercado de juros. A preocupação com a disputa entre governo e oposição no episódio do dossiê contra os tucanos e o seu reflexo sobre a governabilidade em um eventual segundo governo Lula estimularam investidores a zerarem posição no mercado de juros. Com a proximidade do final de semana, cresce também o temor de que novas denúncias apareçam nas revistas semanais, ampliando a cautela nos mercados. A redução de posições vendidas em juros já vinha ocorrendo antes, devido a uma decisão puramente técnica dos operadores de diminuir exposição a esse risco, depois de tantas quedas consecutivas das taxas dos DIs. Mas, a partir de ontem, a piora do cenário político intensificou esse movimento. E, segundo operadores, é nítido que há muitos estrangeiros saindo deste mercado, especialmente nos contratos mais longos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.