Juro futuro fecha em alta após fala de Bernanke

O discurso de ontem do presidente do Federal Reserve (banco central dos EUA), Ben Bernanke, continuou fazendo estragos nos mercados financeiros mundiais nesta terça-feira e, desta vez, o mercado doméstico de juros não foi exceção. A taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) de janeiro de 2008, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), fechou hoje em 15,80% ao ano, contra os 15,72% de ontem. Se ontem os juros futuros se ancoraram no comportamento baixista do dólar e do risco país, ante a boa notícia da recompra de títulos da dívida externa por parte do Tesouro, hoje esses efeitos foram dissipados e o mercado acompanhou o maior receio do resto do mundo: o de que os EUA estejam vivendo uma situação de desaceleração da atividade econômica, acompanhada de inflação. O mercado de juros colou-se às bolsas norte-americanas e deteriorou-se.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.