Juro futuro fecha em alta com novo dado fraco nos EUA

O mercado de juros voltou a ser afetado pelo clima de incertezas no exterior, diante dos indicadores de desaquecimento econômico nos EUA. O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), terminou projetando taxa de 14,32% ao ano. Ontem, este mesmo contrato encerrou a 14,29% ao ano. O reajuste na taxa do DI aconteceu em reação aos dados divulgados hoje mostrando fraqueza da atividade norte-americana. Mas, dizem operadores, ainda é possível classificar a alta dos juros futuros iniciada ontem como realização de lucros. Hoje foi divulgado o indicador de encomendas de bens duráveis nos EUA, que caiu 2,4%, para um total ajustado sazonalmente de US$ 211,99 bilhões, em julho. A mediana das previsões de 23 economistas consultados era de queda de 1% em julho. Saíram também os números das vendas de imóveis residenciais novos nos EUA, que caíram 4,3%, mais do que a previsão, que era de uma queda de 2,7%. Os números norte-americanos alimentam o temor de que um desaquecimento forte da economia global tenha efeitos negativos sobre os países emergentes, com enfraquecimento do comércio exterior ou do fluxo financeiro.

Agencia Estado,

24 de agosto de 2006 | 16h06

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.