Juro futuro fecha em alta com preocupações com a China

As principais taxas futuras de juros passaram hoje por uma intensa correção de preços e fecharam em alta. O contrato de depósito interfinanceiro (DI) mais líquido da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) encerrou projetando taxa de 12,13% ao ano, ante 12,05% ao ano. Já o contrato de DI para janeiro de 2009 tinha taxa de 11,95% ao ano. No dia anterior, este mesmo contrato terminou a 11,78% ao ano. Hoje os mercados já amanheceram tensos, com a informação de que a Bolsa da China registrou a maior perda em 10 anos e a quarta desde que foi criada em 1990. O índice Xangai Composto caiu 8,8%, reduzindo para 14% os ganhos acumulados este ano e após ter computado uma impressionante alta de 130% em 2006. A desvalorização foi atribuída a rumores de que o governo poderá tomar medidas para conter os investimentos na reunião anual do congresso chinês, que começa em 5 de março. A preocupação com a China provocou forte oscilação dos preços. Além disso, o indicador norte-americano de encomendas de bens duráveis de janeiro intensificou a piora de humor. O índice apresentou queda de 7,8%, para US$ 203,90 bilhões, um declínio bem mais forte do que o esperado pelos analistas, agravando as perdas provocadas pelo contágio generalizado do tombo do mercado chinês. Diante do ambiente mais tenso no exterior, o noticiário doméstico, que também foi movimentado, teve pouco efeito sobre os preços no mercado interno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.