Juro futuro fecha em alta, com previsões para a Selic

O mercado futuro de juros encerrou o dia em forte alta, consolidando as apostas de que o Comitê de Política Monetária (Copom) reduzirá hoje o ritmo de corte da taxa básica de juros da economia (Selic). O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, tradicionalmente o mais negociado, terminou o dia na máxima, projetando taxa de 12,43% ao ano, ante taxa de 12,38% ao ano projetada no encerramento dos negócios ontem. A aposta de que a Selic, atualmente em 13,25% ao ano, será reduzida em 0,25 ponto porcentual, ao invés do corte de meio ponto porcentual visto nas últimas reuniões do Copom, foi consolidada nesta manhã, com a ajuda do Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) de janeiro, divulgado pelo IBGE. O mercado abriu de lado à espera do indicador do IBGE que, se viesse mais perto do piso das estimativas, poderia até ressuscitar as apostas de queda de meio ponto porcentual na Selic, mas não foi o que se viu. Os juros futuros engataram alta após a divulgação do índice, que acelerou de 0,35% em dezembro para 0,52% este mês. O IPCA-15 ficou perto do teto das estimativas dos analistas, que ia de 0,35% a 0,55%. O IPCA-15 funciona como prévia para o IPCA, que é o índice de preços acompanhado pelo governo para a meta de inflação de 4,5% ao ano. Como juros altos servem para conter a inflação, uma alta mais forte nos preços justificaria a diminuição no ritmo de cortes da Selic.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.