Juro futuro fecha em baixa antes de decisão da Selic

O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), terminou projetando taxa de 14,25% ao ano. Ontem, este mesmo contrato encerrou a 14,28% ao ano. No dia da primeira etapa da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que termina amanhã, o mercado financeiro voltou a ser influenciado pelo humor do cenário externo. Hoje, foi divulgado o índice de confiança do consumidor norte-americano de agosto, que recuou para 99,6, abaixo das previsões, de 102,5, aumentando a preocupação com o rumo da economia dos EUA. Diante deste dado, o mercado internacional voltou ao estado de cautela. Após a divulgação da ata do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), durante a tarde, o movimento foi de queda. Ainda assim, a volatilidade lá fora e a postura defensiva dos mercados acabou limitando até mesmo o avanço das apostas para o Copom na direção do corte de 0,5 ponto porcentual na taxa básica de juros (Selic). Embora a maioria dos profissionais considere mais provável uma redução mais lenta, de 0,25 ponto, havia uma disposição por parte dos operadores em colocar fichas na idéia do corte de 0,5 ponto, diante dos bons números de inflação e atividade fraca. Mas o ambiente externo impediu esse avanço e operadores acabaram antecipando, em alguns contratos, a realização de lucros que poderia ser feita amanhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.