Juro futuro fecha em baixa após projeções de inflação

Os juros futuros prosseguiram no movimento de queda expressiva hoje, confirmando que a aposta consensual do mercado é a de que o caminho natural dos juros é de queda. O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), terminou o dia projetando taxa de 13,58% ao ano, com queda de 0,29%. Na sexta-feira, este mesmo contrato encerrou o dia a 13,62% ao ano. A pesquisa Focus, divulgada esta manhã pelo Banco Central, foi considerada mais um argumento favorável à aposta na manutenção do ritmo de corte de juros, ou seja, em uma redução de 0,5 ponto percentual na taxa Selic na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. A Focus mostrou a quinta queda consecutiva nas projeções do mercado para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2006, desta vez de 3,32% para 3,23%. Para 2007, houve recuo de 4,40% para 4,34%. O IPCA é o índice acompanhado pelo governo para se atingir a meta de inflação de 4,5%. Assim, o índice é também observado pelo Copom para suas decisões sobre a taxa Selic. As projeções para a Selic em outubro, no entanto, se mantiveram estáveis em 14% - ou seja, a previsão é que o corte do juro será de 0,25 ponto porcentual na reunião do mês que vem - e, para o final do ano, em 13,75%. Mas, para 2007, houve correção de 12,75% para 12,50%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.