Juro futuro fecha em baixa com tom positivo no exterior

O mercado brasileiro de juros acompanhou o tom positivo verificado no exterior e fechou hoje em baixa. A onda de recuperação começou nas bolsas asiáticas, contagiou os mercados europeus e, em seguida, o norte-americano. O noticiário corporativo nos Estados Unidos potencializou a melhora em Wall Street, onde as bolsas operam com altas expressivas, e garante um pregão positivo na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2009, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), encerrou projetando taxa de 11,80% ao ano, ante 11,85% de sexta-feira. O DI para janeiro de 2010 terminou a 11,79% ao ano (11,85% na sexta). No exterior, o negócio que mais chamou a atenção foi a eventual aquisição do grupo holandês ABN Amro pelo britânico Barclays, conforme publicou a imprensa internacional. A operação parece iminente já que não foi negada pelo Barclays, que prometeu divulgar um comunicado amanhã cedo para esclarecer as informações até agora difundidas. As ações do ABN Amro dispararam mais de 9% e puxaram o setor financeiro em alta na Europa e também em Nova York. Além disso, vários outras operações de fusão & aquisição foram anunciadas ou confirmadas nesta segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.