Juro futuro fecha em queda em dia morno

O mercado de juros teve um dia de poucos negócios e baixa oscilação de taxas. Os investidores estiveram na expectativa pelas impressões dos analistas convidados a participar das três reuniões de hoje do Banco Central (BC) com economistas de instituições financeiras, em São Paulo. Amanhã, as reuniões serão no Rio de Janeiro. Ainda assim, no fim do dia, o contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), acelerou a queda e terminou projetando a taxa mínima do dia, de 14,28% ao ano. Na sexta-feira, este mesmo contrato encerrou a 14,33% ao ano. O mercado acompanhou muito de longe o cenário externo, onde os investidores de ações norte-americanos resgataram a alta do petróleo como pretexto para vendas, sem indicadores relevantes nos Estados Unidos. Os representantes do BC, segundo fontes que estiveram nos encontros com economistas, pouco falaram sobre inflação, política monetária ou câmbio, até por causa da proximidade da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), nos dias 29 e 30. O foco recaiu sobre o crescimento da atividade, com a autoridade monetária mantendo otimismo em relação ao Produto Interno Bruto (PIB).

Agencia Estado,

21 de agosto de 2006 | 16h23

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.