Juro futuro fica estável à espera da definição nos EUA

A projeção dos juros a partir dos contratos futuros de DI (depósito interfinanceiro) negociados esta manhã na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) permanece praticamente estável, enquanto espera a definição de rumo dos juros nos Estados Unidos. Às 15h15 (horário de Brasília), o banco central americano vai anunciar sua decisão. Hoje a taxa básica americana está em 5,25% ao ano e tudo indica que deverá permanecer nesse nível. Mas os investidores trabalham com um leque de possibilidades, combinando a decisão em si e o comunicado que se segue à reunião do Comitê de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed, o BC americano). Nas pontas do leque, a melhor combinação é interrupção da alta e comunicado suave, sem sinalizar altas futuras da taxa e sem também apontar para um desaquecimento mais intenso da economia do país. A pior delas seria o Fed elevar a taxa e ainda manter a porta aberta para novos apertos no futuro. Na média, os mercados trabalham com a hipótese de pausa e comunicado "porta aberta" para eventual alta, se necessário. Os mercados ensaiaram hoje uma melhora logo na abertura, mas Nova York pôs o pé no freio logo depois da divulgação do custo da mão-de-obra nos EUA no segundo trimestre. O custo subiu 4,2% (anual) e também o custo do primeiro trimestre foi revisado em alta, de 1,6% para 2,5%, o que sugere pressões inflacionárias no mercado de trabalho. Por outro lado, a produtividade cresceu 1,1% no segundo trimestre, mais do que o crescimento de 0,8% previsto pelos analistas. É um dado que puxa na direção contrária do custo da mão-de-obra, mas não foi forte o suficiente para reconfortar as Bolsas em Wall Street, cujos índices futuros reduziram a alta e estão próximos à estabilidade. Às 10h20, no pregão de DI futuro da BM&F, o contrato com vencimento em janeiro de 2008 projetava taxa de juros nominal de 14,49% ao ano, ante o fechamento ontem a 14,51% ao ano.

Agencia Estado,

08 de agosto de 2006 | 10h21

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.