Juro futuro fica estável, observando mercado externo

O mercado de juros abre o dia com estabilidade nas taxas do DI futuro, prevendo um dia morno, com possibilidade de algum ligeiro ajuste para cima nos contratos de longo prazo, depois de quedas seguidas. O dólar também está operando de lado com leve tendência de baixa. Ambos os mercados seguem o movimento do cenário externo, que parece se desenhar para uma pausa, depois de uma semana de comemoração com dados dos EUA que indicaram desaceleração da atividade contendo inflação e ampliando horizonte de manutenção dos juros norte-americanos por prazo maior. Contudo, existem incertezas sobre a consolidação deste quadro, que só serão dirimidas com novos indicadores. A China elevou os juros pela segunda vez este ano, o que remete também a novas considerações sobre o tamanho da desaceleração global. Assim, os mercados, como um todo, podem partir para um compasso de espera. O índice de sentimento do consumidor da Universidade de Michigan, às 10h45, é o único dado mais forte de hoje, e eventualmente, pode firmar uma direção para o mercado norte-americano, a ser acompanhada pelo brasileiro. Mas, antes disso, a percepção geral é de que os mercados podem ter um dia meio parado. A taxa do DI (depósito interfinanceiro) futuro de janeiro de 2008 mantinha-se estável na Bolsa de Mercadorias & Futuros às 10h15, em 14,31% ao ano. Dois índices de inflação foram divulgados hoje, ambos bem recebidos pelo mercado, mas sem efeito maior nos negócios. O lGP-10 de agosto subiu 0,27% ante aumento de 0,39% em julho, dentro da previsão dos analistas (0,19% a 0,33%). O IPC-Fipe da segunda quadrissemana de agosto ficou em 0,18%, abaixo do piso das estimativas dos analistas consultados pela AE (0,25% a 0,29%).

Agencia Estado,

18 de agosto de 2006 | 10h18

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.