Juro futuro na BM&F sobe afetado por EUA

Os juros dos contratos de DI futuro já começaram o dia no pregão eletrônico GTS da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) reagindo em alta à nova disparada do dólar e das taxas dos títulos do Tesouro norte-americano. O juro do papel de 10 anos dos Estados Unidos subia 1,04% às 10 horas, a 4,7918%, enquanto o de 30 anos apresnetava alta de 1,06%, a 4,78%. Aqui, o dólar à vista no pregão da BM&F avançava 0,89% às 10h15, a R$ 2,158. Em conseqüência, o juro do DI de janeiro de 2007 chegava a 15,22%, tendo já batido a máxima de 15,25%. Ontem, essa taxa encerrou a 15,20%. Diferentemente de ontem, o mercado de juros já negocia volumes maiores desde cedo, o que torna mais significativo todo o movimento deste começo de dia. Operadores ouvidos esta manhã dizem que a alta dos juros dos títulos do Tesouro dos EUA já está inibindo o crescimento da aposta para a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, de corte de 1 ponto porcentual na taxa Selic, amanhã. O mercado deve, ao contrário, alargar a margem da aposta conservadora, de corte de 0,75 ponto porcentual, que já aparecia na segunda-feira na curva de juros com 80% de possibilidade de ratificação pelo Copom. O IGP-DI de fevereiro, divulgado hoje cedo, mostrou deflação de 0,06%, ante alta de 0,72% em janeiro, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O resultado ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado (-0,11% a +0,05%), mas abaixo da mediana projetada de -0,01%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.