Juro futuro reage em queda a conjunto de notícias positivas

Os juros futuros iniciaram o pregão eletrônico da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) em queda, reagindo a um conjunto de notícias positivas dos últimos dias. Entre os eventos que mexem com o mercado está a elevação de "estável" para "positiva" da perspectiva para o rating do Brasil, pela agência de classificação de risco Fitch. Além disso, registra-se a contínua queda do dólar (uma boa notícia para a inflação); o resultado abaixo do esperado do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de janeiro, de 0,43%, e a alta, ainda que modesta, dos índices futuros de ações das bolsas norte-americanas. "São pequenas coisas que, somadas, garantem a recuperação do mercado de juros", observa um operador. Esse ambiente positivo, segundo operadores, está criando oportunidades de negócios. Ou seja, o mercado está aproveitando a maré positiva no noticiário para aplicar a taxas prefixadas. Mas não é possível dizer que esse movimento de queda dos juros signifique uma tendência ou uma mudança de patamar das taxas, que indique uma aposta mais otimista para o rumo da política monetária. "Não está havendo uma mudança de patamar e, por isso, não se pode descartar um novo ajuste mais para a frente", afirma um operador. Às 10h07, o contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008 projetava taxa de juros de 12,30% ao ano no pregão da BM&F, ante 12,33% do final do dia ontem. O DI de janeiro de 2009 projetava taxa de 12,13% ao ano (estava em 12,17% ontem).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.