Juro futuro recua na abertura na BM&F

As projeções das taxas de juros a partir dos contratos futuros de depósitos interfinanceiros (DIs) negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) estão em queda. Às 10h25, o vencimento de janeiro de 2008 projetava taxa de 12,16% ao ano, ante o nível de fechamento ontem de 12,18% ao ano. O DI de janeiro de 2009 está em 11,97% ao ano (12,01% ao ano do dia anterior). Ambos são atualmente os contratos mais negociados na BM&F. O mercado de juros aguarda alguns eventos dos Estados Unidos, que podem causar alguma variação das projeções das taxas. Entre eles, está o discurso do presidente do banco central americano, Ben Bernanke, no Senado americano, a partir das 13 horas (de Brasília). A divulgação dos dados das vendas no varejo nos EUA em janeiro e os estoques semanais de petróleo também serão monitorados. Vale destacar que, no ambiente doméstico, o resultado da inflação de fevereiro pelo Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) nesta quarta-feira, abaixo do piso das estimativas, estimulou a queda dos juros. A inflação foi de 0,28%, ante previsões que variavam 0,29% a 0,44%. Além disso, o clima de otimismo no exterior, com bolsas européias e índices futuros nas bolsas em Nova York em alta, contribui para o desempenho favorável nas taxas futuras de juros no Brasil. Mas, dizem operadores, a queda dos juros tem acontecido de forma consistente porque está relacionada a um "choque de notícias positivas" que vem mexendo com os mercados nos últimos dias. "Todo dia, muita gente realiza lucro, porque acha que já ganhou bastante, e as taxas não param de cair. Isso mostra que o fluxo de boas notícias atrai mais gente para aplicar", diz um operador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.