Juro futuro segue atrelado a cenário externo

O mercado futuro de juros brasileiro segue atrelado à oscilação internacional. O mercado externo dá sinais de que o clima de cautela e apreensão continua, devido às incertezas em relação ao rumo da economia norte-americana. Ontem, más notícias relacionadas ao mercado de crédito imobiliário para clientes de alto risco, conhecido como subprime, nos Estados Unidos, provocaram turbulência e, na opinião de operadores, essa preocupação pode permanecer pressionando os negócios. Essas dúvidas afetaram, por exemplo, bancos britânicos com forte exposição ao mercado norte-americano, garantindo queda das bolsas européias - que não estavam funcionando quando ocorreu a piora de ontem em Wall Street. No Brasil, os mercados devem refletir o ambiente de incertezas no exterior. Na opinião de operadores, enquanto aguardam mais informações que ajudem a clarear o cenário da economia norte-americana, os investidores devem manter-se reticentes, evitando posições muito grandes. Mas a oscilação deve manter-se presente. Às 10h24, o contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008 projetava taxa de 12,03% ao ano, estável em relação ao final do dia ontem. O DI de janeiro de 2009 está em 11,87% (11,88% ontem) e o DI de janeiro de 2010 também projetava juro de 11,87% (11,89% ontem).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.