Juro futuro segue oscilações externas e fecha em alta

As principais taxas de juro fecharam em alta na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). O contrato de depósito interfinanceiro (DI) mais líquido hoje foi o DI com vencimento em janeiro de 2010, com 191 mil contratos negociados. Este contrato encerrou projetando taxa de 12,16% ao ano, ante 12,15% ao ano de sexta-feira. Em seguida, ficaram o DI para janeiro de 2009, com 183 mil contratos negociados e taxa de 12,12% ao ano (12,09% ao ano na sexta), e o DI para janeiro de 2008, com 151 mil contratos e taxa de 12,14% ao ano (12,11% ao ano na sexta). O mercado de juros passou atrelado ao comportamento do cenário externo, seguindo de perto as oscilações verificadas nas bolsas em Wall Street. Segundo operadores, a volatilidade, no entanto, deve continuar sendo a tônica dos negócios. O ponto central das tensões é o ritmo de desaceleração da economia norte-americana. Portanto, indicadores dos EUA devem influenciar diretamente o comportamento dos mercados. E, enquanto não se consolida um cenário ou uma tendência clara para os mercados, as correções de preço e desalavancagem de posições devem prosseguir, em especial nas operações de carregamento (carry trade, em inglês) - operações financiadas pelo iene japonês - o que representa o maior risco para os emergentes no curto prazo. A pesquisa Focus divulgada hoje pelo Banco Central, houve mais uma rodada de queda nas projeções do mercado para a inflação neste ano. A previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2007 recuou de 3,91% para 3,88.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.