Juro futuro sobe após BC falar em "maior parcimônia"

O mercado de juros reagiu com taxas em alta nos contratos futuros de DI (depósito interfinanceiro) à divulgação da ata do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central nesta manhã. A parte do documento mais observada pelos operadores e analistas financeiros foi o trecho sobre "parcimônia", termo que o BC utiliza para falar sobre a condução da política de juros. Na ata da reunião do final de maio, o Copom citou apenas "parcimônia". Hoje, falou em "maior parcimônia". Com isso, o mercado de juros, a princípio, aumenta a aposta de que o próximo corte de juros será de apenas 0,25 ponto porcentual, menor portanto que o último, de 0,5 ponto, e seguido provavelmente por uma pausa. As apostas de uma redução de juros de 0,5 ponto perderam muito terreno, mas ainda não são inteiramente descartadas. Hoje a taxa Selic vale 14,75% ao ano. A próxima reunião do Copom está marcada para 29 e 30 de agosto. As chances de uma taxa Selic abaixo de 14% ao final de 2006 - aposta no extremo do otimismo do mercado - só voltam a aumentar se o Copom, na próxima reunião, decidir repetir o corte de 0,50 ponto porcentual. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros, a taxa projetada pelo contrato futuro de DI de janeiro de 2008 subia para 14,68% às 10h20, ante fechamento ontem a 14,61% ao ano. A taxa do DI de janeiro de 2007 estava em 14,41% ao ano, ante 14,36% da véspera.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.