Juro futuro sobe com atenções voltadas à cena externa

Os juros futuros estão subindo no início do pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). Às 10h20, o contrato futuro de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008 projetava taxa de 12,19% ao ano, ante o fechamento de ontem a 12,15% ao ano. O contrato de janeiro de 2009 avança para 12,10% ao ano, contra 11,96% do final da tarde ontem. A queda das principais bolsas de valores européias nesta manhã, além da indicação negativa dos índices futuros de Nova York, prenuncia a continuidade do movimento de prevenção de prejuízos (ordens "stop loss") no mercado de juros nesta quinta-feira. O que deixa os mercados nervosos agora é o temor de que a economia norte-americana embarque em um processo de forte desaceleração. E, por isso, os vários indicadores econômicos que serão divulgados hoje prometem mexer com os ânimos e, desde já, deixam os investidores ansiosos. O foco do mercado de juros está totalmente voltado para o cenário internacional. A ponto de a proximidade da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central brasileiro, que acontece na próxima semana (dias 6 e 7), pouco afetar os preços hoje. A previsão de que o comitê reduzirá a taxa Selic (juro básico da economia brasileira) em 0,25 ponto porcentual, para o nível de 12,75% ao ano, não chegou a ser alterada no período em que os índices de inflação vinham surpreendendo positivamente. E, ao que parece, a turbulência externa deverá inibir o crescimento de apostas mais otimistas, como o corte de 0,5 ponto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.