Juro futuro sobe com déficit do Governo Central e dólar

Contas do governo central registraram déficit de R$ 10,473 bilhões em setembro,  pior resultado desde dezembro de 2008

Renata Pedini, da Agência Estado,

31 de outubro de 2013 | 10h36

Os juros futuros abriram em alta na manhã desta quinta-feira, sustentados pelo dólar e dando continuidade ao movimento iniciado após o Federal Reserve se mostrar, ontem, menos pessimista quanto à atividade econômica dos Estados Unidos, o que abre espaço para redução de estímulos monetários. Além disso, são puxados para cima pelo déficit do Governo Central em setembro.

As contas do governo central um déficit de R$ 10,473 bilhões no mês passado, o pior resultado desde dezembro de 2008, quando ficou em R$ 19,994 bilhões. Também foi o pior setembro em 17 anos. O déficit ficou abaixo do piso das estimativas de instituições financeiras consultadas pelo AE Projeções, que iam de um déficit de R$ 4,8 bilhões a um superávit de R$ 2,0 bilhões.

Os juros, hoje, estão na contramão das taxas dos Treasuries nos EUA. As quedas da confiança dos setores de serviços (0,2% em outubro) e do comércio (3,9% no trimestre até outubro) também favoreceriam recuo das taxas, mas isso ficou em segundo plano.

Às 10h32, o DI para janeiro de 2015 tinha taxa de 10,55%, ante 10,57% na máxima e 10,53% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2017 apontava 11,43% (11,44% na máxima e 11,30% na véspera). Nesta manhã, o Tesouro Nacional leiloa papéis prefixados (Letras do Tesouro Nacional) para três vencimentos (2014, 2015 e 2017).

Tudo o que sabemos sobre:
juros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.