Juro futuro sobe com dólar, cenário externo e Palocci

As taxas dos contratos futuro de DI (depósito interfinanceiro) abriram o dia em alta na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). O mercado está realizando lucros depois das fortes quedas dos últimos dias e valendo-se, como motivos, da alta do risco País esta manhã, das perdas no mercado da dívida externa, do dólar em alta, e das notícias envolvendo o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, publicadas hoje pelo jornal O Estado de S. Paulo. "Não dá para precificar o quanto o fator Palocci está influenciando na abertura, mas não vejo motivo para muita piora (alta dos juros)", disse esta manhã um operador. Para outro profissional, a denúncia em relação a Palocci (testemunho de um caseiro de que o ministro teria participado de reuniões numa mansão em Brasília, onde seria dividido dinheiro de origem suspeita entre membros da chamada república de Ribeirão Preto) é mais um pretexto para realização de lucros. "Nada que indique mudança para o Comitê de Política Monetária (Copom), é apenas uma correção." A assessoria de Palocci voltou a negar que tenha ido à mansão ou que soubesse de qualquer atividade lá. Às 10h17, o juro projetado pelo DI futuro com vencimento em janeiro de 2008 estava em 14,59%, ante 14,54% do fechamento ontem. A taxa do DI de janeiro de 2007 estava em 15,04%, ante 15,02% de ontem e 15,01% do ajuste para hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.