Juro futuro sobe com projeções mais altas para inflação

A nova deterioração das medianas de inflação na pesquisa semanal Focus e a expectativa em relação ao IPCA-15 de fevereiro, que o IBGE informa amanhã, reforçaram o sentimento de que o Banco Central tem argumentos para antecipar para março o processo de aperto na taxa Selic, o que sustentou os juros futuros em alta.

Denise Abarca, da Agência Estado,

22 de fevereiro de 2010 | 17h51

 

Ao término da negociação normal na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o contrato futuro de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em abril de 2010 (90.045 contratos negociados hoje) projetava taxa de 8,72% ao ano, de 8,71% na sexta-feira; o DI de julho de 2010 (72.020 contratos negociados) projetava 9,21% ao ano (a máxima), de 9,18% no ajuste anterior; e o DI de janeiro de 2011 (296.285 contratos) avançava a 10,34% (máxima), de 10,27% ao ano no ajuste anterior. O DI de janeiro de 2012 (104.195 contratos) subia a 11,44%, de 11,40% no último ajuste. O DI com vencimento em janeiro de 2014 (13.185 contratos negociados) tinha taxa de 12,21%, de 12,20% anteriormente.

 

Pela manhã, a pesquisa Focus trouxe piora na mediana do IPCA em 2010, que avançou de 4,80% para 4,86%, nível ainda mais distante do centro da meta de inflação de 4,5%. Para 2011, permaneceu a expectativa de IPCA em 4,50%. A projeção suavizada para o IPCA nos próximos 12 meses também não sofreu alteração e seguiu em 4,49%. No chamado Top 5, a mediana das expectativas para o IPCA em 2010 no cenário de médio prazo continuou em 4,87%. Com relação à Selic, o mercado continua apostando que o ciclo de aperto monetário começa em abril, com uma alta de 0,5 ponto porcentual, e que a taxa encerrará este ano em 11,25%. Para o fim de 2011, o mercado reduziu a previsão para a Selic no fim do próximo ano de 11,25% para 11%.

 

E a percepção de que o IBGE anunciará um IPCA-15 salgado amanhã aumenta o desconforto com o cenário inflacionário. Segundo pesquisa do AE Projeções, o intervalo das estimativas para o indicador em fevereiro vai de 0,83% a 1,02%, com mediana de 0,92%. Em janeiro, o IPCA-15 havia ficado em 0,52% e no fechamento do mês o IPCA foi de 0,75%. Também nesta terça-feira o IBGE divulga o resultado das vendas no varejo em dezembro, cujas previsões vão de -1,16% a +1,40% em relação a novembro, com mediana de 0,15%.

 

Tudo o que sabemos sobre:
juroSelicinflaçãoIPCA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.