Juro futuro sobe, mas inflação não assusta

O mercado de juros iniciou o pregão mostrando oscilação, mas com a maioria das projeções em leve alta. O contrato futuro de DI (depósito interfinanceiro) com vencimento em janeiro de 2008 projetava taxa de 13,44% ao ano às 10h15, no pregão da Bolsa de Mercadorias & Futuros, ante fechamento ontem a 13,41% ao ano. O resultado da inflação de setembro, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), acima do teto das estimativas, também contribui para a abertura dos juros em alta. O IPCA mostrou alta de 0,21%, ante previsões que oscilavam entre 0,11% e 0,20%. A alta, no entanto, não inviabiliza a perspectiva de continuidade de queda do juro básico (taxa Selic) este ano, nem mesmo de que o próximo corte da Selic será mais uma vez de 0,5 ponto porcentual. "O mercado talvez aproveite para realizar, mas não há preocupação com inflação", afirma um operador. Os investidores monitoram ainda a reação do mercado internacional ao nível de emprego dos Estados Unidos em setembro, divulgado hoje. O número de criação de novas vagas foi mais fraco que o esperado. Previa-se um crescimento de 125 mil vagas em setembro, e o resultado foi de apenas 51 mil. Mas se o dado abaixo do esperado é um argumento para a tese de que a economia norte-americana caminha para um processo de desaceleração mais forte, a revisão dos resultados dos meses de agosto e julho podem servir de contraponto. O Departamento do Trabalho dos EUA revisou em forte alta o número de vagas criadas em agosto, que passou de 128 mil para 188 mil. O número do mês de julho também foi ajustado em alta, passando de 121 mil para 123 mil. Somados, os números dos dois meses foram ajustados em 62 mil, ainda inferior à lacuna de 74 mil vagas registrada entre o número esperado para setembro e o número efetivamente divulgado. Por ora, a reação do mercado internacional foi negativa. Os futuros das bolsas norte-americanas operam em queda. E, por aqui, o dólar e os juros futuros sobem. Mas operadores consideram que ainda é cedo para afirmar que essa será a tendência do dia. "O mercado está analisando os números todos e pode mostrar ainda alguma volatilidade na abertura", afirma um operador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.