Juro futuro sobe um pouco com IPCA-15, mas cenário é de baixa

O resultado da inflação de março pelo IPCA-15, cujo índice ficou no teto das previsões dos economistas, provocou um movimento de realização de lucros no mercado de juros futuros durante o pregão eletrônico da Bolsa de Mercadorias & Futuros no início desta manhã. O pregão eletrônico começa às 9 horas e o viva-voz, às 10 horas. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15), que pode ser visto como uma prévia do IPCA, subiu 0,41% em março, ante variação de 0,46% em fevereiro. As estimativas do mercado variavam entre 0,24% e 0,41%. Assim que o resultado do IPCA-15 foi divulgado pelo IBGE, às 9h30, a projeção dos juros na BM&F calculada a partir dos contratos futuros de depósitos interfinanceiros (DIs), que registravam ligeiro recuo, inverteram o sinal e foram às taxas máximas. Mas por volta das 10h15, com início do pregão viva-voz, amenizavam o movimento de alta. Profissionais consideram o movimento puramente técnico, sem representar uma mudança do cenário de juros. "O IPCA-15 foi um bom argumento para forçar o mercado a embolsar um pouco do ganho", afirma um operador. Às 10h25, o juro projetado pelo contrato de DI com vencimento em janeiro de 2009 estava em 11,67% ao ano, ante o nível de 11,65% de ontem, no fechamento da sessão. O juro projetado pelo DI de janeiro de 2010 estava em 11,62% ao ano no mesmo horário, contra 11,60% de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.