Juro futuro tem leve baixa no início dos negócios

O mercado de juros acompanha a abertura tranqüila no exterior. Os índices futuros das bolsas nos EUA operam perto da estabilidade (às 9h50, Nasdaq para dezembro subia 0,20% e S&P 500 recuava 0,01%). O dólar futuro para entrega em outubro opera estável na Bolsa de Mercadorias & Futuros, a R$ 2,177. Esse ambiente calmo se deve, segundo operadores, à tentativa de recuperação dos preços das commodities metálicas e do petróleo. Mas, ressaltam operadores, o mercado deve manter-se cauteloso até a divulgação da variação das reservas de petróleo, gasolina e derivados nos EUA, às 11h30 (de Brasília). Por aqui, os juros devem oscilar ao sabor do movimento do mercado internacional. E, de forma mais específica, os contratos mais longos acompanharão a reação do dólar ao ambiente externo. Nos contratos futuros de Depósitos Interfinanceiros (DIs) mais curtos, dizem operadores, não há espaço para muitos ajustes. Afinal, ainda é cedo para alterar a aposta para a próxima reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, que é de maior probabilidade de haver um corte de 0,25 ponto porcentual na taxa Selic. "Provavelmente, os contratos curtos terão poucas mudanças até perto da reunião do Copom, em outubro, quando haverá mais indicadores de atividade e inflação que ajudem a definir uma aposta mais precisa", afirma um operador. No sistema eletrônico GTS da Bolsa de Mercadorias & Futuros, que antecede o pregão regular, o DI com vencimento em janeiro de 2008 tinha taxa de 13,69% ao ano às 9h55. Ontem, no fechamento, a projeção da taxa era de 13,71% ao ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.