Juro futuro termina em alta após dado dos EUA

O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), terminou o dia projetando taxa de 13,31% ao ano, ante taxa de 13,28% ao ano projetada no encerramento dos negócios ontem. O mercado financeiro embarcou no movimento de realização de lucros no exterior, provocado pela divulgação do índice de preços ao produtor norte-americano (PPI, na sigla em inglês). Embora o PPI cheio tenha caído 1,3% em setembro, mais do que esperado (-0,7%), o núcleo do índice, que exclui os preços de energia e alimentos, subiu 0,6%, acima da previsão (+0,2%), a maior alta desde janeiro do ano passado. Os números reforçaram a preocupação com a inflação e provocaram realização em todos os mercados. A correção, no entanto, não significa qualquer alteração na tendência positiva do mercado, segundo operadores. Segundo profissionais, continua vigorando a aposta de que o Comitê de Política Monetária (Copom) tem todos os motivos para cortar a taxa Selic em 0,5 ponto porcentual, para 13,75% ao ano, na reunião que termina amanhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.