Juro futuro termina em baixa, apesar de leilão de títulos

O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), terminou o dia projetando taxa de 13,29% ao ano, ante taxa de 13,33% ao ano projetada no fechamento de ontem. O mercado de juros operou em queda durante quase todo o dia, mesmo com a oferta forte de títulos prefixados do Tesouro Nacional. No leilão de hoje, foram levados a mercado 8,5 milhões de Letras do Tesouro Nacional (LTNs) e 1,250 milhão de Notas do Tesouro Nacional - série F (NTN-F), o que representou uma ampliação da oferta da semana passada. Mas, apesar de um volume tão forte (que, em teoria, reduziria o preço dos títulos e, conseqüentemente, elevaria os juros), o efeito que este leilão gerou no mercado foi apenas de limitar uma possível queda maior dos juros. Segundo analistas, o mercado continua bastante otimista em relação ao rumo dos juros. Esse ambiente positivo se deve à inflação sob controle, à percepção de que será preciso estimular o crescimento econômico, à relativa tranqüilidade no mercado internacional e, mais recentemente, à aposta de que o candidato Geraldo Alckmin tem chance de vencer a disputa pela Presidência. Mesmo com as pesquisas mostrando larga vantagem de Lula sobre o adversário, o mercado comprou a idéia de que Alckmin pode virar o jogo, segundo operadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.