Juro futuro termina em queda, com alívio do câmbio

O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008, o mais negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), terminou o dia projetando taxa de 13,64% ao ano, em queda de 0,66%. Ontem, este mesmo contrato encerrou a 13,73% ao ano. O mercado de juros reagiu ao alívio do câmbio, ao cenário externo positivo e à ausência de notícias negativas no quadro político. O movimento no mercado, no entanto, aconteceu em um ambiente de liquidez moderada e sem grande entusiasmo por parte dos investidores, segundo analistas. A pesquisa realizada pelo instituto Sensus a pedido da CNT reafirmou o cenário de que a eleição presidencial será definida no primeiro turno - o que é considerada uma boa notícia. Para o mercado, quanto mais cedo for definida a eleição, melhor. Nesse sentido, a pesquisa de hoje não trouxe motivos para mau humor. Agora, a expectativa é pelas próximas pesquisas, do Ibope, que sai amanhã, e do Datafolha, na próxima quinta-feira. No exterior, a divulgação de indicadores econômicos mostrando sinais de melhora da confiança do consumidor norte-americano e recuperação da atividade industrial na região de Richmond trouxeram recuperação para os mercados. E, aqui, o dólar acompanhou, contribuindo para o alívio dos juros futuros.

Agencia Estado,

26 de setembro de 2006 | 16h15

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.