Juro sobe com redução no ritmo de corte da Selic

O contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2008 terminou projetando taxa de 12,48% ao ano. Na sexta-feira, este mesmo DI havia fechado em 12,43% ao ano na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). A pesquisa Focus e o resultado das vendas no varejo de novembro, divulgados hoje, acabaram com a empolgação de especialistas que buscavam apostas mais ousadas. Tanto a pesquisa Focus quanto os números do comércio varejista foram considerados argumentos a favor da redução do ritmo de corte da taxa básica de juros (Selic) e, dessa forma, os investidores convergiram para a aposta em 0,25 ponto porcentual. Embora nesta segunda-feira tenha sido um dia de fraca liquidez, por causa do feriado de Martin Luther King, nos Estados Unidos, operadores consideraram consistente a correção nos contratos de juros mais curtos, onde fica mais evidente as expectativas de especialistas para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). A pesquisa Focus, divulgada pelo Banco Central, confirmou as expectativas dos analistas e mostrou uma elevação nas projeções do Índice de Preços ao Consumidor (IPCA). Na Focus, a alta mais significativa ocorreu nas projeções feitas pelas instituições Top 5 (aquelas que mais acertam suas estimativas) médio prazo para o IPCA em 2007, cuja mediana passou de 3,80% para 4,15%. Outro indicador favorável à maior parcimônia do Banco Central em janeiro, segundo analistas, foi o de vendas no varejo em novembro, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Houve crescimento de 0,56% no penúltimo mês de 2006. Na comparação com novembro de 2005, o indicador (+9,22%) superou o teto das previsões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.