Juros abrem com foco na reunião do Copom

Em mais um dia de agenda carregada, as atenções do mercado de juros estão concentradas na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC). Em um momento em que o governo tenta recuperar a confiança dos investidores, após anunciar meta para o superávit primário deste ano em 1,9% do PIB, a autoridade monetária se vê diante de uma inflação ainda resistente, mas com sinais de desaceleração da atividade econômica - o PIB do quarto trimestre será conhecido apenas na manhã desta quinta-feira, 27.

FERNANDO TRAVAGLINI, Agencia Estado

26 de fevereiro de 2014 | 10h41

Os contratos de DI futuro mostram pouca liquidez nos primeiros negócios, com a taxa para janeiro de 2015 em 11,03%, máxima até então, de 11,02% no ajuste de terça-feira, 25. As apostas majoritárias refletidas nos contratos de juros indicam uma redução do ritmo para a alta da taxa básica, para 0,25 ponto porcentual, o que levaria a Selic para 10,75%. Mas a manutenção do passo não foi totalmente descartada pelos agentes.

Além da decisão, os investidores também estarão atentos aos sinais que serão emitidos no comunicado que acompanhará a decisão do Banco Central, em busca de pistas sobre quando se dará o fim do atual ciclo.

Tudo o que sabemos sobre:
jurosCopom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.