Juros caem devolvendo exageros dos dois últimos dias

O mercado de juros futuros abriu em baixa na Bolsa de Mercadorias & Futuros, acompanhando o recuo das taxas dos juros dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos (treasuries) pelo segundo dia consecutivo. Está devolvendo, assim, exageros de alta, depois de subir nos dois últimos dias, desde que o payroll (número de vagas criadas nos EUA) de março provocou reação negativa nos mercados mundiais. Às 10h13, o contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento para janeiro de 2008 (o mais negociado) estava em 14,71%, ante 14,84% do fechamento de ontem. O dólar abriu em queda, o que dá terreno seguro para o recuo dos juros. A taxa do juro dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos recuava 0,35%, para 4,9362%. O petróleo, porém, continua dando o tom negativo lá fora, mostrado nova alta esta manhã. Pela manhã, o contrato para entrega em maio, no sistema eletrônico da New York Mercantile Exchange (Nymex), subia 0,42%, a US$ 69,03 o barril. Nesta terça-feira sem indicadores de peso aqui ou nos EUA, o mercado cultiva certa expectativa pela pesquisa CNT/Sensus, que será divulgada às 11 horas. Mas acredita-se que seu resultado poderá ser semelhante ao do Datafolha (o período de entrevistas foi o mesmo), com sinais de crescimento de Anthony Garotinho. Entretanto, como a pesquisa anterior foi feita três meses antes, estatisticamente Geraldo Alckmin também pode mostrar avanço (ele não era ainda candidato às presidenciais na pesquisa anterior). Também às 11 horas, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) divulga nível de emprego de março. Hoje tem leilões do Tesouro de títulos prefixados e títulos corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Se a tendência de melhora do mercado for consistente, isso poderá ser conferido mais nitidamente após os leilões.

Agencia Estado,

11 Abril 2006 | 10h13

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.