Juros caem motivados pela abertura tranqüila no exterior e Copom

As projeções de taxas de juros estão em queda nesta manhã. O contrato mais líquido de Deposito Interfinanceiro de um dia negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (janeiro de 2008) perdia 0,04 ponto porcentual, a 14,24 por cento ao ano. Segundo analistas, o recuo reflete a tranqüilidade no exterior - as bolsas européias operam em alta, assim como os índices futuros das bolsas norte-americanas. Operadores acreditam que a ata do Fomc, que é considerado o evento mais importante do dia, dificilmente terá forças para mexer negativamente com o mercado. "Essa ata se refere a uma reunião em que o Fomc parou de subir os juros e, por isso, não acredito que ela trará problemas", afirma um operador. No curto prazo, o mercado operará em cima das apostas para a decisão do Copom sobre o rumo da taxa Selic e, ao que parece, deve crescer mais um pouco a probabilidade de a redução do juro ser de 0,5 ponto percentual. A aposta majoritária continua sendo em um corte de 0,25 ponto. Mas, diante dos bons números de inflação e atividade fraca e, sobretudo, da busca por uma posição alternativa, a idéia de uma redução maior deve ganhar um pouco mais de terreno. Ontem, a probabilidade de um corte de 0,5 ponto era de pouco mais de 30%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.