Juros: cautela marca início dos negócios

Os mercados monetários domésticos iniciaram esta quarta-feira, 5, refletindo a cautela dos investidores em meio às incertezas que cercam tanto a economia doméstica quanto o cenário global. Com foco na série de dados programados para hoje nos Estados Unidos, que incluem os números do mercado de trabalho norte-americano privado (ADP), os pregões exibem poucas oscilações.

FERNANDO TRAVAGLINI, Agencia Estado

05 de fevereiro de 2014 | 10h17

Lá fora, o dólar se mantém praticamente estável ante o euro e sem direção definida ante as moedas commodities, enquanto os Treasuries mostram ligeira queda. Por aqui, logo após o fim do leilão de swap, a moeda à vista registrou mínima a R$ 2,4060 (-0,25%). Na BM&FBovespa, às 9h48, o dólar para março de 2013 estava estável, a R$ 2,4220, com ajustes de posições após a forte queda da véspera.

Nos juros, pesam a desaceleração do dólar e dados divulgados há pouco pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), da medida diária do IPCA, que mostraram deflação nos preços de alimentos (-0,02%) pela primeira vez no ano. Às 9h40, a taxa do DI para janeiro de 2015 era negociado a 11,53%, de 11,57% no ajuste de Quarta-feira.

Outro tema que está na ordem do dia é o apagão que ocorreu nesta terça-feira, 4. Analistas já especulam o impacto dos problemas do setor elétrico na atividade - enfraquecida no fim do ano passado pelo tombo registrado pela produção industrial em dezembro - e no desempenho do PIB deste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
mercadosabertura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.