Juros de títulos americanos de curto prazo sobem

Mercado especula que o banco central norte-americano pode elevar sua taxa de juro de referência antes do final do ano

Suzi Katzumata, da Agência Estado,

19 de março de 2010 | 19h01

Os preços da maioria dos Treasuries encerraram a semana em baixa, com respectivo movimento inverso dos juros, em especial os bônus de prazos mais curtos, que foram pressionados pelas especulações de que o que o banco central norte-americano, o Federal Reserve, pode elevar sua taxa de juro de referência antes do final do ano.

 

Além disso, na próxima semana, o Departamento do Tesouro vai vender US$ 118 bilhões em notes, concentrados em títulos de prazos mais curtos, o que também pressionou esses papéis. O governo programou a venda de US$ 44 bilhões em T-notes de 2 anos na terça-feira, US$ 42 bilhões em T-notes de 5 anos na quarta-feira e US$ 32 bilhões em T-notes de 7 anos na quinta-feira.

 

Os Treasuries de prazos mais longos tiveram um desempenho melhor, o que levou à queda do spread sobre os títulos de prazos mais curtos. Os T-bonds de 30 anos foram os ganhadores do dia, com a demanda pelo papel alimentada por preocupações sobre a zona do euro e diante da ausência de inflação nos EUA.

 

Os yields (taxa de retorno) dos Treasuries de prazos mais curtos são mais sensíveis a mudanças na perspectiva para a taxa de juro básica, enquanto a inflação é a principal ameaça aos bônus governamentais de longo prazo.

 

"A parte longa da curva de juros do mercado de Treasuries ficou vulnerável", disse Tom Tucci, chefe de transações com bônus do RBC Capital Markets em Nova York. "A parte longa teve um desempenho acima da média durante toda a semana", refletindo a busca dos investidores por um yield extra, disse.

 

No encerramento da sessão em Nova York, os juros projetados pelos T-bonds de 30 anos estavam em 4,583%, de 4,581% ontem; os juros das T-notes de 10 anos estavam em 3,699%, de 3,668% ontem; os juros das T-notes de 2 anos estavam em 0,993%, de 0,952% ontem.

 

As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
EUA, treasuries, títulos, juros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.