Juros de títulos americanos sobem com indicadores e Citi

Os preços dos Treasuries (títulos nrote-americanos) caíram, com respectivo movimento inverso dos juros, diante da divulgação de um indicador mais forte que o previsto nos EUA e da recuperação nos mercado de ações após o declínio acentuado dos índices registrado na sexta-feira, fatores que diminuíram a demanda por ativos considerados seguros, como os títulos do Tesouro norte-americano.

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

19 de abril de 2010 | 18h54

 

No encerramento da sessão em Nova York, os juros projetados pelos T-bonds de 30 anos estavam em 4,691%, de 4,672% na sexta-feira; os juros das T-notes de 10 anos estavam em 3,797%, de 3,769%, após tocarem 3,736% no overnight - menor nível em quase um mês; os juros das T-notes de 2 anos estavam em 0,975%, de 0,959% na sexta-feira.

 

Os preços dos Treasuries perderam força diante do aumento de 1,4% no índice de indicadores antecedentes do Conference Board em março. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam avanço de 1,1%. Também contribuiu para o declínio a divulgação do balanço do Citigroup. O banco, cujas ações fecharam em alta de 7,02%, anunciou que obteve um lucro líquido de US$ 4,4 bilhões (US$ 0,15 por ação) no primeiro trimestre deste ano - maior lucro registrado pela instituição desde o segundo trimestre de 2007.

 

No final da semana passada, os investidores compraram Treasuries em busca de segurança após a Securities and Exchange Comission (SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA) acusar o banco Goldman Sachs e um de seus executivos de omitir informações cruciais sobre um produto financeiro ligado ao segmento de hipotecas subprime. No entanto, segundo Ted Ake, diretor de negociações com Treasuries do Société Générale em Nova York, "o pânico de sexta-feira parece ter diminuído".

 

Para Carl Lantz, chefe de estratégia de juros norte-americanos do Credit Suisse Securities USA, os respingos do processo contra o Goldman Sachs estão "relativamente contidos". Ele acrescentou que os mercados estão "em modo de espera" para os próximos desdobramentos do assunto, que pode levar algum tempo para ser concluído.

 

Os problemas fiscais da Grécia também continuam no radar do mercado. Autoridades da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional foram forçadas a atrasar uma reunião em Atenas até quarta-feira por conta da nuvem de cinza vulcânica que paira sobre o continente europeu e provocou o cancelamento de vários voos.

 

Na segunda-feira, o custo para garantir a dívida grega atingiu um nível recorde e o prêmio dos títulos gregos sobre os alemães continuou a subir. "Com as questões da zona do euro e o potencial impacto da nuvem de cinzas vulcânicas sobre as economias dessa região, os investidores podem não ter muita escolha quando forem definir suas aplicações", disse Kevin Giddis, diretor de vendas, negociações e pesquisa de renda fixa da Morgan Keegan. "Junte isso ao nervosismo no mercado de ações e os Treasuries poderão desfrutar de uma semana de yields menores e preços mais altos." As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAtreasuriestítulosjuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.