Juros de treasuries ampliam alta após leilão de bônus de 30 anos

Os preços dos Treasuries caíram as mínimas intraday, com respectivo movimento inverso dos juros, depois do leilão primário de US$ 16 bilhões em bônus de 30 anos ter atraído uma demanda mais fraca do que a média recente.

Suzi Katzumata, da Agência Estado,

11 de fevereiro de 2010 | 16h36

 

O Departamento do Tesouro vendeu os novos T-bonds de 30 anos a uma taxa máxima de 4,720%, acima da taxa de 4,681% precificada no mercado "when-issed" - onde o título é negociado antes de seu lançamento oficial. A taxa maior na emissão do papel significa que o governo teve de pagar mais para colocar o papel no mercado.

 

A proporção ofertas feitas/aceitas (bid-to-cover), um importante indicador de demanda, alcançou 2,36 vezes o valor da emissão, abaixo da proporção de 2,68 vezes do leilão de janeiro e da média de 2,44 vezes dos últimos quatro leilões.

 

As ofertas indiretas - um indicador da demanda de compradores estrangeiros, incluindo bancos centrais - representaram apenas 29% da emissão, de 40,7% em janeiro e da média de 39,9% dos últimos quatro leilões.

 

Por outro lado, as ofertas diretas - bancos gestores de fundos e instituições de depósitos que não são primary dealers mas que possuem contas diretas para submeterem suas próprias ofertas ao Tesouro - subiu para 24%, de 4,9% em janeiro e de 6,9% em dezembro.

 

Às 16h23 (de Brasília), os juros projetados pelos T-bonds de 30 anos estavam em 4,687%, de 4,637% ontem; os juros das T-notes de 10 anos estavam em 3,739%, de 3,689% ontem; os juros das T-notes de 2 anos estavam em 0,879%, de 0,883% ontem.

 

As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
treasuriesEUAjuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.