Juros futuros abrem perto da estabilidade

As taxas de juros futuros abriram perto da estabilidade nesta quinta-feira, enquanto o investidor aguarda pelo desfecho das negociações no Congresso americano para evitar o abismo fiscal, que serão retomadas hoje. A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), que ficou abaixo do piso das estimativas tanto em dezembro como no ano, no entanto, confere aos DIs um viés de baixa, que pode ganhar reforço do mercado de câmbio, caso o dólar siga a trajetória de queda. Ontem, o dólar fechou em queda após três leilões cambiais realizados pelo Banco Central, um de linha e dois de swap cambial. Hoje, o BC realiza outro leilão de linha, das 9h30 às 9h35, um leilão de venda de dólares de até US$ 2 bilhões com recompra da moeda em 01/02/2013.

LUCIANA ANTONELLO XAVIER, Agencia Estado

27 de dezembro de 2012 | 09h48

O IGP-M de dezembro subiu 0,68% ante deflação de 0,03% em novembro, ficando abaixo do piso do intervalo das previsões, que iam de 0,71% a 0,87%. Em 2012, o IGP-M ficou em 7,82%, também ficando abaixo do piso do intervalo estimado, de 7,84% a 8,02%

Com relação às discussões fiscais em Washington, não há reuniões marcadas para hoje e, ao mesmo tempo, o relógio continua correndo contra o governo de Barack Obama. O prazo final para que um acordo seja atingido termina junto com o ano de 2012 e, se não houver sucesso nas negociações, entram em vigor automaticamente no dia 1º de janeiro cortes de gastos de US$ 560 bilhões nos próximos dez anos, em defesa e na área social.

Além disso, fica obstruída a meta do governo de fixar cortes de gastos federais e aumento de impostos em dez anos para reduzir a dívida pública hoje de US$ 16,4 bilhões. Como se não bastasse, o Tesouro norte-americano afirmou que o país deve alcançar o limite legal de endividamento, de US$ 16,394 trilhões, na próxima segunda-feira , dia 31. Segundo o escritório de pesquisa sobre orçamento do Congresso, se os EUA caírem no abismo fiscal, o país entrará de novo em recessão e a taxa de desemprego pode voltar a ficar acima de 9%.

Às 9h16, na BM&FBovespa, o contrato de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2014 projetava taxa de 7,13% ante 7,14% ontem. O DI para janeiro de 2015 tinha taxa de 7,75%, de 7,78% ontem. O DI para janeiro de 2017 tinha taxa de 8,50% ante 8,52%, enquanto o juro futuro com vencimento em janeiro de 2021 projetava 9,22%, estável em relação a ontem.

Tudo o que sabemos sobre:
jurosabertura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.