Juros futuros abrem quase estáveis, com volume fraco

Taxas podem ser influenciadas pela moeda norte-americana e pelos juros dos Treasuries, os títulos do governo dos EUA

Renata Pedini, da Agência Estado,

21 de outubro de 2013 | 09h32

Os juros futuros iniciaram a segunda-feira esvaziada de indicadores econômicos domésticos próximos da estabilidade e com volume de negócios fraco. O leilão de Libra, no Rio, será monitorado, mas mais pelo impacto que pode trazer ao mercado de câmbio. . As taxas podem ser influenciadas pelo dólar e juros dos Treasuries

Nesta manhã, a pesquisa Focus do Banco Central trouxe alteração nas projeções para a Selic em 2013 e em 2014. Tais mudanças ocorrem após a divulgação da ata do Comitê de Política Monetária (Copom) na semana passada. Mas como já estão embutidas no mercado de juros apenas dão sustentação às taxas, sem trazer pressão adicional.

A estimativa para a Selic no fim deste ano subiu de 9,75% para 10,0% na Focus, indicando alta de 0,50 ponto porcentual do juro básico no mês que vem. Para o próximo ano, avançou mais: de 9,75% para 10,25%. Os juros negociados na BM&FBovespa já indicam Selic a 10,50% ao ano em janeiro de 2014.

No levantamento, a mediana das projeções para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2013 passou de 5,81% para 5,83% e, para 2014, de 5,95% para 5,94%. O IPCA 12 meses à frente foi revisado em alta, de 6,24% para 6,25%. Em relação ao crescimento do PIB, os analistas consultados pelo BC na pesquisa projetam agora 2,50% para 2013, de 2,48% na semana passada. Para 2014, a expectativa permaneceu em 2,20%.

Às 9h26, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2015 tinha taxa de 10,51%, na máxima, igual ao ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2017 apontava 11,42%, de 11,43% no ajuste anterior.

Tudo o que sabemos sobre:
juros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.